19 de ago de 2010

Você acredita que estão querendo fechar a TV Assembléia?

Houve uma determinação do presidente da Fundação Padre Anchieta para romper o convênio com a TV Assembléia e o prazo é até 25 de janeiro, data da fundação de São Paulo. Todos os companheiros da TV Assembléia já estão de aviso prévio.

Estamos diante de uma violência sem precedentes desde que a Fundação Padre Anchieta está sob intervenção direta do Sr. Governador Alberto Goldman, como que o Dr. João Sayad convoca os funcionários da TV Cultura e diz que vai romper o vínculo com a TV Assembléia. Que inclusive, é muito bem pago por esse convênio.

A Fundação Padre Anchieta rompe o convênio com a Alesp depois de oito anos e põe na rua todos os jornalistas. Será porque a TV Alesp é a única porta aberta que existe para analisarmos o governo do estado? Será porque ela é usada pela oposição?

Acusam Chaves e ditadores de terminar com a imprensa. E agora, senhor governador, qual a explicação que o senhor dará aos seus filhos, aos seus correligionários, aos seus companheiros do Partido Comunista, do PPS, do PMDB, do PSDB, para demitir 90 funcionários da TV Alesp e fechá-la, silenciá-la, intimidá-la?

Sr. Governador, por que João Sayad saiu da Secretaria da Cultura e foi fazer uma intervenção? Será por causa do debate do Roda Viva? Será por causa das matérias dos pedágios? Será que o senhor tem competência para fechar essa televisão? Por que pôs um banqueiro de tradição duvidosa na presidência da Fundação Padre Anchieta? Por que pôs um interventor? Por que pôs um ditador? Imaginem se os senhores assumem a presidência do Brasil, o que os senhores vão fazer com as TVs públicas, com o povo brasileiro e com o sistema de comunicação?

Pois é, são esses os senhores que nos governam, os senhores que querem fechar e silenciar a TV Alesp.

Que vergonha, senhores falsos democratas! Que vergonha! Que vergonha! Vocês não precisam de oposição, vocês fazem a oposição!

O documento abaixo foi redigido pela comissão de funcionários da TV Assembléia:

“São Paulo, 16 de agosto de 2010
Ao Colégio de Líderes
Assembléia Legislativa/SP

Prezados Senhores,
Nós, funcionários da TV Assembléia - ligados à Fundação Padre Anchieta (TV Cultura) - solicitamos, através deste documento, que os senhores líderes dos partidos desta Casa ajudem na transição da saída da TV Cultura para outra fundação que venha a administrar a TV Assembléia.

Como é do conhecimento desse Colégio, fomos surpreendidos com a informação de que a Fundação Padre Anchieta não pretende renovar o contrato com a Alesp e a demissão de todos os trabalhadores, a partir do dia 25 de janeiro de 2011.

Diante dessa situação, solicitamos aos senhores empenho no sentido de que a nova fundação que vencer a licitação se comprometa a contratar todos os profissionais existentes hoje nos quadros da TV Alesp, da seguinte forma:

1. Contratação de toda a equipe que efetivamente trabalha, pelo regime CLT, com benefícios compatíveis aos atuais;
2. Reajustes salariais com valores praticados no mercado e acordos sindicais, bem como os dissídios coletivos;
3. Regularização funcional para corrigir eventuais distorções existentes hoje na TV Alesp;
4. Plano de saúde aos funcionários, ticket alimentação, ticket refeição, vale-transporte, seguro de vida em grupo;
5. Respeito à carga horária de radialistas e jornalistas;
6. Regulamentação, o mais rápido possível, da Fundação 9 de Julho, para que a Alesp possa ter independência nos rumos de sua televisão;
7. Estabilidade de 1 (um) ano no emprego a todos os funcionários que efetivamente trabalham nos quadros da TV Alesp;
8. Criação de um Conselho Editorial para a TV Assembléia;
9. Solicitamos que o processo de transição também seja acompanhado por representantes dos funcionários da TV Assembléia/Conselho dos Funcionários da TV Cultura, Sindicatos dos Jornalistas e Radialistas.

Agradecemos a atenção e o empenho que sabemos poder contar.
Cordialmente,
Comissão de Funcionários TV Assembléia”

Um comentário:

  1. Estou pasma com esta notícia. É realmente um absurdo. O único canal que a população tem pra saber o que realmente se passa dentro da ALESP nas sessões plenárias é através da TV ALESP ou comparecer ao plenário, sendo que para muitos é inviável devido as sessões ocorrem em horário comercial, então acompanham pela TV ou pelo site. Se fechar a tv alesp, é como se nós ficassemos no escuro,sem saber como estão de fato sendo votados os projetos, sem contar o desemprego de 90 funcionários, é um absurdo.

    ResponderExcluir